Fundado em 20 de Outubro de 2008, na cidade de Vila Velha-ES, somos um grupo de amigos/protetores dos animais, que os amam de forma incondicional e, nos preocupamos com a preservação de suas vidas.


Sem fins lucrativos, trabalhamos voluntariamente na elaboração de eventos beneficentes e na sensibilização do ser humano em prol dos animais.

Não possuímos abrigo, nem fazemos resgates, apenas apoiamos e divulgamos protetores independetes e entidades voltadas para essa questão.



segunda-feira, 20 de abril de 2009

A Importância da Castração

(OBSERVE O QUADRO ABAIXO)


Ao contrário do que muita gente pensa, a esterilização de animais não é nenhuma “judiação”. É um ato de amor com seu bichinho. Além de ele não se reproduzir, gerando ainda mais animais num mundo que não comporta tantos (existem mais animais de rua do que pessoas querendo ter um companheiro de estimação), a cirurgia de castração evita que ele se exponha a diversas doenças. Com isso, evita-se também o câncer de próstata em machos e de mama, de ovário e útero em fêmeas. Assim seu bichinho pode viver muito mais a seu lado, e você fica com a consciência tranqüila por nunca ter sido responsável por gerar e abandonar mais animaizinhos pelas ruas.

Os animais castrados continuam sendo ótimos para guarda e companhia. O comportamento deles só fica mais calmo e sociável com os donos e com outros animais. Eles vão continuar tentando agradar a família e protegendo a casa, mas agora sem marcar território com a urina. E a castração ainda evita que os machos escapem para ir atrás de fêmeas no cio e se percam.

A castração evita ainda aborrecimento com machos invasores, barulho de fêmeas no cio e, principalmente, ninhadas indesejadas. O grande problema de filhotinhos, além dos gastos extras com comida e veterinário, é arrumar donos responsáveis para todos eles. Lembre-se que dificilmente nascerão menos de quatro filhotes por ninhada.


A importância da castração em números

- No Brasil, há um cachorro para cada sete humanos e 10% deste total é de animais abandonados.

- Os animais se reproduzem em progressão geométrica. Dessa forma, uma cadela não castrada e seus descendentes gerarão cerca de 64.000 filhotes em apenas sete anos;

- Quando falamos de gatos o número salta para 420.000 novos animais, pois cachorros se reproduzem a cada seis meses, enquanto gatos se reproduzem a cada três meses;

- Todos os dias cerca de 200 animais são entregues pelos próprios donos ou recolhidos pela carrocinha;

- O CCZ de São Paulo extermina mais de 20.000 animais sadios todos os anos.

A solução para esse problema pode resumir numa equação simples: posse responsável + castração

- Animais castrados ficam obesos: falso. O que leva os animais a engordarem é a vida sedentária e uma alimentação inadequada. É verdade que com a castração existem mudanças na constituição física dos animais, e eles podem ficar com mais apetite, mas isso não significa que eles ficarão obesos;

- Gatas podem entrar no cio em períodos menores do que um mês: verdadeiro. Para gatas, exista a possibilidade do que chamamos de cio induzido, causado pela presença de machos não castrados numa distância próxima (mesmo que não seja na mesma casa). Além disso, no verão, existem gatas que chegam a entrar no cio a cada 21 dias.

- A castração deixa o animal "bobo": falso. Após castrados os animais apresentam um comportamento mais tranqüilo, mas continuam brincando e se divertindo normalmente. O que acontece é que com a idade, normalmente, os animais diminuem seu grau de atividade e muitas pessoas erroneamente atribuem isso a castração;

- A castração mutila o animal e é uma prática muito cruel: falso. A castração é uma cirurgia simples, rápida e com pós-operatório tranqüilo. Em 24h o animal volta a estar ativo e assim que retira os pontos, eles voltam a levar uma vida completamente normal;

- Não pode castrar fêmeas antes do primeiro cio/primeira ninhada: falso. Os animais podem ser castrados a partir dos dois meses de vida sem que haja nenhum prejuízo a saúde deles. Aliás, quanto mais novo for o animal, mas rápida será a sua recuperação. O ideal é castrar o animal ANTES do primeiro cio;

- Castrando os machos eles deixam de fazer xixi pela casa: verdadeiro. Machos castrados antes da puberdade, ou seja, antes dos seis meses de vida, não chegam se quer a apresentar tal problema. Em animais adultos que já tenham o hábito de demarcar território, a castração também se mostra muito eficiente em ao menos diminuir consideravelmente esse problema;

- Gatos machos inteiros podem sentir uma fêmea no cio a quilômetros de distância: verdadeiro. Um gato macho, não castrado, pode sentir o cheiro de uma fêmea no cio num raio de 20km de distância!

- Castrar pode trazer problemas emocionais para os animais: falso. É justamente ao contrário. Castrando você evita, além de doenças físicas, também problemas comportamentais, como, por exemplo, a gravidez psicológica em fêmeas, um problema causado por cios freqüentes (uma cadela entra no cio de seis em seis meses e uma gata de três em três meses).

Fonte: Movimento dos Protetores Independentes


Nenhum comentário: